09 fevereiro 2011

Nascer do sol

A nuvem espalhava sua poeira sobre o céu
E o sol sua farinha sobre as nuvens derrubava
Um passarinho cantava sua alegria e seu enfeite
As folhas dançavam a música do vento
E o sol era o sol, e o dia nascia
Que fosse ruim em partes do mundo
Que fosse triste e de grande agonia
As pessoas na frenética rotina
E o caos em seus frêmitos mais sórdidos
Aquele instante deveria ser fotografado
Pelos olhos de um homem, pelos olhos de uma mulher
A vida estava laranja e amarela, viva e calma como um nascer do sol.

3 comentários:

Alessandra S. Cantero disse...

...nada como os olhos do artista para a fotografar a beleza simples do momento...

Samuel disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Samuel disse...

Parar e olhar para o mistério, contemplá-lo sem querer decifrar nada. É para poucos essa percepção num mundo onde o sucesso financeiro aliado a um status de merda e o consumismo são sinônimos de felicidade.