12 fevereiro 2011

Revoar

Suas palavras foram modeladas com pedaços da lua
Mas vieram os cometas para destruir sua essência
Foi preciso a poeira encantada e as cores diversas
Para acertar o andamento do tempo

O que você buscava se não a complacência?
É preciso que os ponteiros acertem o ritmo
Esperar que o mar e sua espuma apague o sol
No começo as tempestades foram severas

Mas sua vontade foi aceita por todos
Pudera o tempo aceitar sua felicidade
Inundar o mundo com o frescor da garoa
Mas ele não aceita o linear sem mudanças

O que essa neblina faz aqui?
Você errou no dizer ou na escolha?

A solidão espreita sua tristeza
Revoa seu corpo feito valsa desacompanhada
Não há flores, elas não resistiram
Não adianta cantar, você não tem voz
Onde estão as palavras modeladas?

4 comentários:

Janaína A. S. disse...

nossa Elvis! q poema lindo! e tão melodioso...
tb foi moldado com pedaços da Lua e rejuntado com poeira cósmica.
bj

nerde_muito+ disse...

Existem mais palavras moldadas neste poema, quanto pedaços da
lua...Que não cansamos de tentar encontrar. Lindo!!!
Abs.
Confraria X

binha disse...

afogando num dia de sol...é essa a sensação.

Linguagem, Internet e Ensino disse...

Elvis,
Descobertas!!! Estou amando muito as descobertas do lado de cá!!!
bjs