12 março 2011

5... 3... 1...

5... 3... 1... Cada pedaço do tempo escorre em minhas mãos

Já nem sei se eu perco o tempo ou se ele me perde

Corro mas não sei onde e em qual corrida a morte me espera

A vida há muito desde o meu começo e consciência enche-me de dor

O tempo é o único e implacável metal que indestrutível

Segue seguro de sua partida

Você pode correr os bares

Misturar vodka a outros líquidos

Mas a sua vontade não vai ser aceita por essa lei, única lei superior,

O tempo, não para, não volta, não ouve sua prece,

É surdo!

Locomotiva desgovernada

9 comentários:

binha disse...

o tempo é dono de si e dono do alheio...

R.B.Côvo disse...

O tempo é um flagelo. O pensar nele também. Abraço.

Confraria X disse...

Estamos todos nesse barco, meu amigo. Somos apenas espectadores deste milagre (a que chamamos de vida).

Jefhcardoso disse...

Olá Elvis!
Espero em ter muito que percorrer com o tempo. (risos)
Prazer em estar aqui!
“Para o legítimo sonhador não há sonho frustrado, mas sim sonho em curso” (Jefhcardoso)
Gostaria de lhe convidar para que comentasse o meu conto “Água benta bem gelada”. Ok?
Jefhcardoso do http://jefhcardoso.blogspot.com

Samuel disse...

o tempo é humano.

Maria Marluce disse...

O tempo é senhor de tudo. Já dizia Cazuza "o tempo não pára". A propósito há um poema no meu blog -é antigo- sobre o tempo. Parabéns pelo poema centésimo seguidor.

Sana Tessmann. disse...

oi querido...obrigada pelo comentário lá no blog... esse teu espaço é gostoso mesmo..como café da tarde. beijo

Lígia Guedes, disse...

Olá,

O que pode ser melhor do que um café quentinho com uma prosa e poesia? rsrs

Gostei muito do espaço.

Tenha um excelente final de semana!

Cris Morais disse...

Se o tempo soubesse como és meu amante e ao mesmo tempo o meu pior inimigo me mataria de beijos rs...são várias armadilhas que nem o tempo sabe como armou...talvez pq a autoria deste tempo seja a nossa grande refém.
Elvis, ótimo escrito!